Paróquia São Cristovão
Na década de 50, chegou à localidade a família do pioneiro Sr. Reinoldo Bernt. Posteriormente, veio a família do Sr. Davide de Carli. Eles receberam assistência religiosa do Padre Antônio Patuy. As missas eram rezadas, em latim, na casa do Sr. Reinoldo, aglutinando os vizinhos e famílias das localidades próximas.

A primeira capela foi construída em 1952, com a valiosa colaboração da MARIPÁ e com ajuda das famílias da Linha Pica Flor (atual comunidade de Linha São Paulo). O trabalho foi coordenado pelo primeiro presidente Sr. Davide de Carli.

Em 1953, Davide de Carli ficou muito doente. Por ser portador de reumatismo nas juntas ficou acamado, com poucos movimentos. Em meio ao sofrimento, comprou uma imagem de Nossa Senhora Aparecida certo de que ela lhe daria alívio para suas dores. A imagem chegou à casa dele numa tarde do ano de 1954. No dia seguinte qual foi a surpresa da família ao voltar do trabalho perto do meio dia: o Sr. Davide que estava acamado, levantou sozinho e ficou de pé na janela. Este fato deu origem ao nome da comunidade: Nossa Senhora das Dores, naquela época formada por vinte famílias e pertencia à Paróquia Nossa Senhora de Fátima, administrada pelo pároco padre Aloísio Baumeister.

A atual capela foi construída depois de se angariar fundos e comprar material aos poucos durante quatro anos. Em 1976, teve início a obra e no ano seguinte foi concluída. Desde, então, a comunidade, através da Equipe Executiva de Administração e Economia realiza os serviços de manutenção e salda os compromissos financeiros com a paróquia com dinheiro proveniente de festas e contribuições do dízimo. Em 1988, a capela foi desmembrada da Paróquia Nossa Senhora de Fátima e incorporada à Paróquia São Cristóvão.